sábado, 26 de janeiro de 2019

Lágrimas de Lama



O povo de Mariana ainda chora
E não chora sozinho
Um tsunami de lágrimas
Vai descendo em Brumadinho
Estas lágrimas são de lama
E matam pelo caminho

Na terra de Minas
O que não falta é riqueza
Não o minério soterrado
Sim o seu povo e sua natureza
Que mais uma vez foram varridos
Pela lama da tristeza

Neste planeta finito
Natureza e progresso devem andar lado a lado
Porém, na ganância do capitalismo
Meio ambiente sempre foi negligenciado
Porquê dessa forma os lucros
Seguem muito bem, obrigado

Depois de muito lamento
A tragédia se repetiu
Evidenciando como é deprimente
A negligência no Brasil
Aplaudindo e pedindo biz
Ao maior crime que já se viu

terça-feira, 2 de maio de 2017

Paraquedas

Variáveis incertas voando
Possibilidades incertas sonhando
Quem poderia saber?
Quem poderia resolver?
Ninguém!
É... ninguém
Há vezes em que a vida decide
Ha vezes em que tudo coincide
O controle é nosso apenas enquanto mantemos o controle
O restante desenrola, o futuro ninguém nunca soube
Tropeços são normais, eu também já caí
Carrego saudades até do que não vivi
A resposta é constante
A vida é um instante
O resultado é incessante
Gostar é interessante
Amar é delirante!

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Scape!

Fuja da rotina chata
Que consome ano após ano
Como pensas em viver?
Costuma fazer planos?
Sabe onde quer estar?
Sabe onde estamos?
As incertezas são constantes
Há muito por baixo dos panos
Mas são estas incógnitas
Que nos fazem tão humanos
E uma certeza eu tenho, 
Somos os caminhos que cruzamos
E eu não quero passar a vida
Repetindo o mesmo dia por anos
A monotonia nos mata
Ou nós a matamos!

domingo, 2 de abril de 2017

Carta aos Conquistadores


Os barcos chegaram
Não para fazer companhia
Chegaram fazendo barulho
E dizendo que a terra á eles pertencia
Pertencia-lhes como?
Já estávamos aqui há muito tempo!
Tampouco era nossa
a terra é livre como o vento!
-
De maravilhas aqui estava cheio
Para todo lado era riqueza
Se diziam proprietários de tudo
Porém não se pode possuir a natureza
Tentaram disfarçar o roubo
Trocando ouro por espelho
Com uma ganância voraz
Ignorando qualquer pedido ou conselho
-
Logo em seguida piorou
Nos fizeram de escravos
Neste dia a Terra chorou
Com tantos índios acorrentados
Não entendiamos nada
O que queria aquela gente estranha?
Enquanto resistíamos
Rios de sangue desciam pela montanha
-
Séculos passaram
O método mudou
Mas a exploração da América
Nunca parou!
Portugueses, espanhóis, ingleses, holandeses..
Aqueles ditos como 'desenvolvidos'
Edificaram sua história
Sobre um continente ferido
-
Tudo o que possuía algum valor
Cada cascata, terra, ouro, animal, rio..
Destruíram sem piedade
No maior paraíso que já existiu!

quarta-feira, 22 de março de 2017

Viral


O mundo gira
tão natural
tão normal

A gente pira
Cada um no seu astral
No seu cada qual

O jogo vira
O que é mau
Pertence ao mundo real

Controle a ira
Apesar de tudo ser brutal
Nada é desleal

Senta e respira
O controle mental
é a chave da condicional

O universo conspira
Mostrando que no final
a vida é um grande carnaval!

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Curvas do caminho

Incerto é o futuro
Mas como não ver beleza
Diante de tanta incerteza?
Toda a liberdade
Em um mar de possibilidades
Não temer o escuro...

Alguns dias, meses, anos
O tempo de cada jornada
Não quer dizer nada
Conta sim a vivência
E o aprendizado de cada experiência
Que mudam e rompem planos...

Não ter pressa de chegar
Ser morador do mundo
Surpreender-se a cada segundo
Ser turista sempre
Morar com toda gente
E nunca querer parar...

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Tempo Relativo

Cabeça martela, bate, pensa
Foca de novo, volta, repensa
Tudo muda a todo momento
Retomo sempre o mesmo pensamento
Sensação de existir apenas isso no mundo
e lembrar de você...
24 horas por segundo.